Articles

  • tu estiveste-te freguês?

    24 mars 2012, 8h03m

    Fri 23 Mar – Criolo

    Mineiro não é freguês: essa foi minha impressão do show do cara em BH no bizarro 24 de março de 2012.

    Toda a galera do palco tá de parabéns! Encarar o calor do #fail Music Hall e mandar bem, deixando o público alucinado não é pra qualquer um.

    Seguimos com a falta de amor em SP. A galera entende?

    Não Existe Amor Em SP
  • no new journal, or not

    14 nov. 2011, 1h37m

    Muito bom esse recurso disponível na comunidade do last fm - JOURNAL.

    Com esse recurso aprendi que, quando for escrever alguma coisa para publicar na internet, tem que ser relacionado à música.

    E com isso acabei montando meu blog, sergio n roll, sem querer ser pretencioso. Resolvi montá-lo enquanto assistia um show do The Killers em casa.

    Bom, como fica inviável para mim manter mais de um lugar para publicar meus devaneios, me despeço do journal do last.fm.

    Abraços!
  • Jambro Band

    20 sept. 2010, 23h14m

    Sexta 17 Set – Otto

    Essa é a Jambro Band, jam de jam mesmo e bro de brothers explicaram o tecladista e o baixista após o show, na área externa do Cultural, onde todos se sentiram em casa; também pode ser jambro, uma fruta lá da nossa terra, lembram.

    O Cultural é uma casa de shows antiga em Juiz de Fora, conta com excelente iluminação e som. O palco possibilita o artista e sua banda realizar um show intimista pois é praticamente no nível da pista (é possível tocá-los enquanto estão no palco, apenas esticando o braço) - e foi com isso que a banda se espantou quando entrou, todos se entreolharam surpresos. A gente veio do interior de Pernambuco, a gente gosta de fazer um som em locais assim, nem muito cheio, nem muito vazio, disse Otto em certo momento do show, que desceu três vezes a pista pra cantar junto com a galera. Afinal, o que eles fizeram mesmo foi um(a) jam session, do jeito que nenhuma pessoa presente possa reclamar.



    Todas as músicas tiveram a letra cantada pelo público no local e o show foi excelente - o som com influencias de , , , , batuques de Candomblé e qualquer outra coisa que der na telha, é uma explosão musical, IMHO.

    Depois de terem tocado todas as canções marcadas no setlist a galera não arredou pé, pediu mais e Otto voltou sozinho com um pandeiro, cantou duas músicas e a banda entrou em seguida para acompanhá-lo - coisa que não aconteceu em Belo Horizonte.

    Vai ter uma dacinha aí depois?, pergunta Otto. Quando terminaram de vez o show, foram pra área externa da casa, tomaram sua cerveja, bateram papo com o pessoal que tava por ali, apreciaram a vista e prometeram voltar.

    Outros vídeos do show
  • MTV foi sepultada por uma adolescência surtada

    17 sept. 2010, 12h01m

    Quinta 16 Set – VMB 2010

    A MTV fez uma festa para o seu sepultamento. A premiação foi pura vergonha para os músicos brasileiros, e correspondeu à opinião pública pois a votação de todas as categorias foi aberta.

    A apresentação da festa pela equipe de humor da emissora - Marcelo Adnet, Dani Calabresa, Bento; e convidados como Marco Luque e Danilo Gentili foi excelente mas, IMHO não conseguiu salvar a vergonha, que foi maior. A MTV não deveria reprisar o evento, como está planejando, uma vez foi suficiente. Na premiação de artista do ano, enquanto a câmera acompanhava as crianças do Restart subindo ao palco, nota-se claramente a expressão de O que estou fazendo aqui? de alguns renomados músicos nacionais.

    A crítica e o pedido de demissão do Guilherme Zonta no prêmio Multishow abriu caminho para a galera dar o berro. Se essa votação expressa a opinião da adolescência brasileira, estamos ferrados nas urnas eleitorais.

    Cazé mandou seu recado! Otto cantou Fudia e a tal da Restart foi muito bem vaiada!
  • Otto no Lapa Multishow em BH

    12 sept. 2010, 23h33m

    Sábado 11 Set – Lançamento de "Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos", em BH

    O show teve a abertura do pessoal do Graveola e O Lixo Polifônico, que acabei conhecendo lá e gostei muito.

    Mas o pessoal tava tenso mesmo pra escutar Otto e sua banda - o cara subiu ao palco e daí em diante todos no lugar só pararam de cantar e dançar (inclusive o próprio Otto) quando o show terminou. A energia no lugar foi muito boa, inclusive o público.

    Se as músicas do Otto por si só são excelentes, o som da banda que o acompanha é um show a parte - e Otto evidencia o trabalho da galera todo tempo. Aconteceram pelo menos uns três momentos que o espaço do palco era só da banda, cujo nome ele repete várias vezes, mas sinceramente não consegui entender e minhas pesquisas na internet foram em vão - não achei.

    É uma explosão musical brasileira, pelo tanto de influências que o som tem e vale muito a pena participar disso.

    Na próxima semana eles se apresentam em minha cidade, e não vai ter jeito de estar lá e deixar de ir. Ainda mais que a casa em que eles vão tocar é praticamente desprovida de palco - o artista e o público fica cara a cara.

    Segue a apresentação de Janaina em NYC - é que esse foi o vídeo com a melhor edição e resolução que encontrei.

  • U2 e suas músicas (parte 1)

    5 août 2010, 23h40m

    Gosto pra cacete de rock - minha formação musical foi a base de Beatles quando criança, graças a minha mãe, e do grunge de Seattle quando adolescente. Respirava video clips da MTV nessa época. Enter Sandman fazia parte dos mais pedidos no Disk MTV.

    Bom, muitas bandas ficaram, outras partiram, mas uma que não consigo deixar de gostar ou parar de acompanhar é o U2. Desde que assisti o U2360 cheguei a conclusão, IMHO, de que além de ser a maior banda de rock de todos os tempos (pra mim o U2 não deixa de ter um som que é uma mistura de tudo que veio antes dos 80s), eles são muito show-bizz; cada turnê que realizam é um verdadeiro espetáculo. Bono Vox pendurado e gangorrando num microfone retrô vestindo uma jaqueta de couro com os braços cheios de feixes de lasers disparados para todo lado, cantando Ultra Violet, não é pra qualquer um.

    Eu ainda não acho que The Edge toca a guitarra em I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight em Pasadena (local do show gravado nessa última turnê).

    Mas o que eu quero mesmo é falar sobre as músicas que tem referência a acontecimentos políticos e homenagens a personagens da história recente mundial.

    Algumas músicas eu acabei descobrindo o motivo ou a homenagem sem querer, lendo alguma reportagem ou comentário por aí. Mas resolvi ir além, fui pesquisar as referências que existem nas suas músicas mais famosas.

    Sunday Bloody Sunday é o nome da canção que U2 compôs em 1983 em memória da tragédia que se abateu sobre os irlandeses no dia 30 de Janeiro de 1972 quando, durante uma marcha de protesto pelos direitos civis da Northerm Ireland Civil Rights association, após a publicação de um decreto do Governo Britânico que permitia a prisão de elementos suspeitos de terrorismo sem julgamento.(...) Após 25 minutos de intenso tiroteio, 26 activistas, todos desarmados, tinham sido alvejados. 13 católicos (6 dos quais menores) estavam mortos, tendo 5 deles sido alvejados pelas costas e um 14º viria a falecer posteriormente na sequência dos ferimentos. O inquérito instaurado após o massacre e que, ficaria conhecido como “Sunday Bloody Sunday”, determinou que o exército agira com “alguma irresponsabilidade”, mas aceitou a alegação de legitima defesa e o caso foi rapidamente encerrado. Fonte: Espreitador.
    Esse acontecimento deu origem a um filme, com o mesmo nome e que faz parte dos filmes assistidos por qualquer fã da banda. Segue um vídeo disponível no Youtube.



    Pride (in the Name of Love) é uma música em homenagem a Martin Luther King, Jr. Não preciso dizer quem foi.

    Walk On foi feita em homenagem a Aung San Suu Kyi.

    The Unforgettable Fire cita uma exposição de arte pelas vítimas do bombardeio atômico de Hiroshima e Nagasaki, realizada no Museu da Paz em Chicago como inspiração para a canção.

    Bullet the Blue Sky foi inspirada na viagem de Bono à América Central em 1985 como parte da Anistia Internacional.

    As letras de New Year's Day referem-se a um movimento de solidariedade a Lech Walesa, em 1982 e 1983.

    Bono escreveu Where the Streets Have No Name fazendo referência a Irlanda especialmente Irlanda do Norte, onde as divisões são muito fortes entre pobre/rico, católico/protestante e outros. Sabendo em qual rua a pessoa vive, pode-se concluir sua religião e poder econômico.

    A letra de Beautiful Day foi inspirada pela experiência de Bono com o Jubileu de 2000, pelo perdão da dívida externa para os países do Terceiro Mundo.

    A banda escreveu City of Blinding Lights durante a turnê que fazia nos Estados Unidos na época em que Nova Iorque foi atingida pelo ataque de 11 de setembro.

    Continua no próximo post.

    Fontes: Wikipedia, Song Facts
  • Third totalmente remixado

    24 jui. 2008, 1h02m

    Nem terminei de degustar o álbum Third do Portishead e o rraurl já comentou que uns caras disponibilizaram o cd totalmente remixado e de graça.

    Prontamente baixei as músicas. Gostei muito do resultado - os caras fizeram um som eletrônico mais voltado pra pista, mas de uma qualidade realmente superior do que esses remixes comuns e chatos.

    Pra quem curte música eletrônica e Portishead, a combinação ficou ótima.

    O link no rraurl acima é para a matéria e aqui fica a url para baixar o cd.
  • Control - a film by Anton Corbjin

    10 jui. 2008, 4h05m

    O fato é que Anton Corbjin criou uma sequência de fotografias em preto e branco devidamente sincronizadas e com uma excelente trilha sonora.

    Desde que a própria LastFm divulgou Control, eu fiquei com vontade de assistir o filme.

    O filme conta a história de Ian Curtis e sua participação na banda Joy Division. Também conta a história de algumas das músicas da banda - momentos da vida de Ian em que teve a inspiração para escrevê-las. Para mim, essas cenas são as mais legais do filme, mesmo por que são as músicas que mais gosto.




    Outro trabalho do diretor é Devotional, performance do Depeche Mode filmado por Corbjin. Tenho o dvd e não canso de assistir (quando tenho tempo claro). Enjoy the Silence aqui.



    São boas dicas! :)
  • Podcasts from Resident Advisor

    4 jui. 2008, 21h01m

    Os podcasts disponibilizados pela comunidade de música eletrônica Resident Advisor costumam surpreender.

    Sempre procuro ao menos escutar estes podcasts on line antes de baixar, quando o perfil do cara ou mulher que produziu é meio suspeito. Faço isso no Google Reader, já que assino o feed e quando tem mp3 anexo, ele disponibiliza um player on-line.

    Já baixei sets da Anja Schneider, Gui Borato, Underworld e recentemente do Laurent Garnier.

    Esse último é o meu predileto!

    Os podcastas já vêm taggeados e com uma foto do artista!! :)

    Vale a dica!
  • Excelente som, péssima política de ingressos!!

    8 fév. 2008, 14h01m

    Domingo 3 Fev – David Guetta, Misha Daniels

    O som do cara foi um dos melhores que eu já ouvi. Abriu o show com Love Is Gone, numa batida muito mais empolgante. Remixou ao vivo músicas do momento, suas próprias músicas e flertou com Daft Punk, galera do mesmo país de David Guetta.


    A casa é excelente, ótimo estacionamento, nada de filas. Pessoas extraordinárias. Atendimento 10! A estrutura de som é muito boa também. Mas antes de ir confira no site as proibições da casa (nada de regatas, cordões, máquinas fotográficas, bermudas, etc etc)... Uma chatice para um lugar em que se vê Ferraris no estacionamento.

    Mas ainda não bate a Multiplace Mais no que diz conceito à vários ambientes.

    A política de venda de ingressos foi a mais contraditória que vi na minha vida. Ingressos antecipados para a pista foram vendidos a 70, 90 e 110 reais. Na hora do evento, estavam a 60 (se não me engano). Coisa de louco!