Review: Kanye West - Late Registration

RSS
Partager

18 août 2011, 20h46m




Muitos falam que Late Registration é a continuação de The College Dropout, ou então os mais ousados diz que ele é a sobra do álbum anterior. Mas não é bem isso que eu vejo, pois considero a pegada soul, jazz, anos 70's do College muito diferente do Late Registatrion.

Um álbum longo, em que são apresentadas varias falsetas de Kanye West. Ele inicia com uma amostra de sons contagiantes e melodias viciantes, a sequencia entre Heard 'Em Say e Gold Digger é sem duvidas a parte mais animada do álbum; Kanye vai ao ápice de sua euforia no refrão de Touch the Sky, os samples ainda ficam escondidos em Heard 'Em Say, mas em Gold Digger o sample de Ray Charles com a canção Got a Woman é exibido por Jamie Foxx que não vacila e trás a Kanye West um de seus maiores hits;

Gold Digger seria apenas o começo do que esta ainda por vim, pois apos a Skit #1, o Cd segue uma linha mais sombria; por tanto, Drive Slow dar partida nesse segundo ato do álbum, samples são mostrado sem medo e Kanye esquece os refrões melódicos, pois a partir de Drive Slow rimas e mais rimas são jogadas e colaborações de rappers aparecem, Common faz sua parte na pequena My Way Home, e logo em seguida Crack Music leva o rap de Kanye West a outro nível, pois o soul é introduzido e vocais dão uma sensação "dark", por fim The Game faz uma pequena colaboração na canção levando um pouco de rapper agressivo e fazendo um mixers com os vocais femininos na ponte da musica.

Eis que surge Roses - minha musica preferida, que nada mais é uma musica completamente diferente que tudo que foi visto antes, ela inicia como um freeestyle, Kanye não se limita nas rimas, e solta tudo o que estava pensando, o refrão vem seguindo do sample de Rosie de Bill Withers, o que o deixa ainda melhor, e até o momento, aparenta-se ser a musica mais triste do Cd, por fim, uma segunda parte é introduzida, dando mais destaque aos vocais do sample, e o beat fica mais agitados, o que ocasiona a sequencia da próxima musica Bring Me Down, que tem um refrão marcante com Brandy, e uma letra mais sentimental. Addiction finaliza esse segundo ato do álbum na mesma forma que foi iniciado, com uma sensação obscura, dando maior destaque aos samples femininos.

O terceiro ato do álbum começa quando Diamonds from Sierra Leone chega, ainda com a sensação "dark", Kanye West mostra sua agressividade nas rimas, vindo de um refrão que introduz o sentimento da musica, dando uma sensação de estar em uma opera, violinos são riscados e surge Jay-Z, que finaliza a musica, junto com o refrão gritante.

We Major vem sendo introduza com o estranho flow de Really Doe. Kanye West aparece apenas no refrão, e segue as rimas como em uma conversa, até que Nas aparece e mantem o ritmo leve da musica, e ela se estende até os vocais soul/R&B; a musica começa uma nova fase, é como um bom incremento essa finalização, e por fim Kanye West retorna, e a musica volta a ser um bom som de rap, até que ela é finalizada sobre vocais de Tony Williams.

Apos a parte mais rap do álbum ser apresentada, Kanye West volta a falar sobre seus sentimentos, e Hey Mama é a canção, diga-se de passagem uma das mais linda homenagem a sua mãe; Kanye arrisca em cantar - e até que não ficou ruim, as rimas são rápidas, uma sensação gostosa dar quando o refrão chega, o sample é de Today Won't Come Again, mas é cantado por John Legend. A musica é uma das mais experimentais do álbum, pois são muitos instrumentos usados no beat; e por fim Kanye West ainda assume uma ponte chamando sua mãe diversas vezes, a musica é finalizada em um alto astral que é demonstrado em Celebration, onde Kanye assume rimas lentas e um refrão viciante, que faz você cantar facilmente; o mixer entre os instrumentos soprano levam a musica para a pegada vintage de Gone, o próximo som e ultimo do álbum.

Kanye West já fez todos dançarem com a primeira parte, a mensagem sobre amor foi transmitida e o rap para as ruas também, por fim teve uma amostra de experimentos, ele até cantou e rimou na mesma musica, mas ainda faltava algo, ele precisa colocar isso tudo junto, e Gone é simplesmente isso, Kanye levou o rap a opera, e ainda convidou Cam'ron e Consequence para rimar junto a ele. O som é um rap daqueles para as ruas, mas Kanye levou em conta os samples e elementos que deu tão bem durante o álbum, e as rimas foram meio conduzidas com a sonoridades dos instrumentos.

Kanye gostou tanto desse jeito agressivo de rimar, que adicionou as musicas bônus do disco, Diamonds from Sierra Leone em uma versão sem o verso de Jay-Z , e por fim Late. Pronto, o segundo trabalho solo de Kanye West é finalizado com uma canção leve, com refrão fácil e rimas lentas.

Late Registration é um dos trabalhos mais arriscado de Kanye, pois ele levou a serio em introduzir a soul music no rap, e até que deu certo, na verdade deu muito certo, tanto que até hoje, seis anos após o lançamento, ele é lembrando de forma boa... vindo cheio de elogios e para muitos esse é o melhor trabalho do rapper de Chicago.

Nota: 10

Commentaires

Ajouter un commentaire. Connectez-vous à Last.fm ou inscrivez-vous (c'est gratuit).