Articles

RSS
  • Resenha: Red - Until We Have Faces [2011]

    13 fév. 2011, 13h25m



    1. Feed The Machine
    2. Faceless
    3. Lie To Me (Denial)
    4. Let It Burn
    5. Buried Beneath
    6. Not Alone
    7. Watch You Crawl
    8. The Outside
    9. Who We Are
    10. Best Is Yet To Come
    11. Hymn For The Missing

    ________________________________________________________________

    Começando o ano de 2011 muito bem, musicalmente falando, Red vem com um dos melhores álbuns que já ouvi nos últimos anos.

    Superando os álbuns "End Of Silence", de 2006, e "Innocence & Instinct", de 2009, "Until We Have Faces" mostra uma característica mais pesada que os anteriores, mas sem perder sua essência musical. Posso dizer que, assim como o álbum anterior, neste eles seguem numa linha similar ao de Breaking Benjamin.

    Começando com tudo, "Feed The Machine", que é a música mais pesada deste álbum, vem com riffs alucinantes, de forma única e muito empolgante. Posso dizer que esta é a melhor música deste álbum. Pra mim, evidentemente.

    Em seguida vem "Faceless", um pouco mais leve que a primeira, escolhida como "Single" de estréia deste álbum, mostra de forma resumida este trabalho da banda: bons riffs e bateria pegando ao estilo "New Metal", vocais limpos e com algumas partes com berros, e tudo sem perder a suavidade que a banda sempre mostrou em suas músicas, mesclando com o peso, agora um pouco mais acentuado.

    "Lie To Me (Denial)" é, digamos, o "equilibrio perfeito" das duas primeiras músicas: Violinos e samplers de algumas batidas eletrônicas fazendo a introdução, como quem diz "prepare-se!", acompanhando os primeiros riffs de guitarra, e em seguida, a música "explode". No entanto, a música se mostra bem calma durante os versos, puxando um pouco de peso durante os refrões, e voltando aos riffs do começo, após os refrões.

    "Let It Burn" segue quase a mesma linha de "Lie To Me (Denial)", porém ligeiramente mais leve e com uma voz feminina acompanhando o vocalista, quase no final da música.

    Depois vem a "Buried Beneath". Essa é uma música, digamos, "meio-termo". Não foge da linha do álbum, mas não tem nada de especial, nem negativo.

    A 3ª música mais "leve" deste álbum, "Not Alone" trás uma melodia muito bonita, deixando um pouco de lado os riffs acentuados. Uma das minhas preferidas, no momento.

    Voltando com mais peso, "Watch You Crawl" é uma música que só me leva a fazer uma única observação: Eles beberam da fonte do Sevendust. Hahahaha. Muito bom!!

    "The Outside" é uma música "dançante" (rs). Entretanto, não perde a sonoridade proposta deste álbum: riffs bem trabalhados, vocais limpos e berrados, samplers de batidas eletrônicas bem mais presentes.

    Em seguida, vem "Who We Are". Uma música que dá a impressão de ser o "meio-termo" entre "Buried Beneath" e "The Outside". Boa música, mas sem grandes observações.

    Novamente deixando o lado "pesado" da banda, "Best Is Yet To Come" é a 2ª música mais "leve" deste álbum, trazendo uma melodia tão bonita quanto "Not Alone", mostrando em sua letra que nem tudo está perdido e que o melhor ainda está por vir.

    Para encerrar com "chave de ouro" (ou vermelha, não sei), uma música extremamente singular neste álbum: "Hymn For The Missing". Além de ser uma música totalmente diferente das outras, esta é a mais calma, trazendo novamente aquela voz feminina de "Let It Burn".
    Digamos que as 2 últimas músicas são exatamente o contrário das 2 primeiras.

    Observações finais:
    Já disse que é um dos melhores álbuns que já ouvi nos últimos anos, tão logo considera-se o melhor da banda. No geral, nota 9 para pra ele.

    Recomendado para fãs de Breaking Benjamin, Sevendust, Skillet, Evanescence (do álbum "Fallen") e We Are the Fallen.

    ________________________________________________________________
    Banda: Red
    Álbum: Until We Have Faces
    Música: Faceless (Ao Vivo)



    ________________________________________________________________

    Quem quiser comentar, sinta-se à vontade. Faço isso por puro "Hobby", nada além disso. :)