Articles

  • pra terminar

    4 juin 2012, 14h43m

    O sol estava no zênite, a posição era favorável
    O suor no rosto era um sinal inegável
    O esforço feito, a distância percorrida
    Máquina humana, produtora de vida

    A luz branca incendiária invadia tudo
    E tudo que se havia pra invadir
    Era tomado por um brilho
    Que antes não tinha por ali

    Ele chegou, era a impressão
    Era tudo que todas coisas achavam
    o sol estava no zênite
  • Meia Noite Na Rua Julio Verne

    29 avr. 2012, 4h15m

    Rostos de terras distantes
    São conquistados agora
    Por barcos em letreiros
    azuis gigantes

    Seus olhos buscam a imensidão
    da vasta cidade, e seus passos
    sem rumo vão pelo chão concreto
    uma placa amassada, caminho correto

    Solidão soa tão clichê, mas é algo tão contemporâneo,
    Ela sempre ataca na mesma época do ano

    E eu nunca me preveni;
    Sempre esqueço minha máscara de gás
    Quando passo por aqui
  • Financeiro & R.H.

    28 avr. 2012, 17h56m

    Ele chegou em casa
    nem mulher nem filhos estavam lá
    ele era o primeiro
    aproveitou, tirou a roupa foi ao banheiro
    debaixo do chuveiro
    começava a se masturbar
    libidinosamente
    lembrava da moça do R.H.

    Ela já estava nua
    tinha sabão pelo corpo inteiro
    seus dedos a penetravam e estimulavam
    lembrando do homem do financeiro

    Pena ser casado, ela pensa
    pena ser mais nova, ele pensa
    quem criou essa moral que os separa? Ninguém pensa

    Um dia quem sabe, a luz não acaba
    Quando eles estiverem no elevador
    As coisas vão subir, e vai sumir o pudor
  • essa não é minha, mas é pra mim

    11 avr. 2012, 23h44m

    "Toca em minha mão
    O mundo é muito pouco
    Tudo que te digo é ouro
    Pétalas que se esvaem com o vento
    E folhas que murcham a cada entardecer
    Só não esquece o quando eu amo você"
  • Eu nunca mais serei o mesmo

    10 avr. 2012, 21h15m

    E tudo vinha como uma rajada sônica de um sax
    Uma sinfonia que rasgava minha pele por dentro
    metade de mim era visceras espatifadas pelo chão
    Pesadelo
    outra metade ficava de pé, firme em sua essência sabe-se lá de que.

    nem em sua casa terá paz, enquanto você a buscar, disse a voz do cérebro

    tudo que eu queria, era só que a terra me engolisse e acabasse com o resto de dor que minhas terminações nervosas ainda me proporcionavam, aqueles fluídos que significam sentimentos, como eu queria passar longe disso, como eu queria.
  • Ao meu interior com dedicação

    9 avr. 2012, 22h18m

    Eu não percebi
    o sonho, o sangue, o sopro de vida em mim
    Eu não senti
    quando a faca dilacerava o que havia dentro de mim
    Eu não consegui
    aparar meus dentes que caiam no chão;
    tentei usar as mãos, mas a quantidade de sangue era como uma inundação
  • sem título

    9 avr. 2012, 19h35m

    Você passa tanto tempo, cuidando dessas flores, por que isso?
    -Quero elas em meu enterro, tem que estar tudo lindo
  • Droga

    6 avr. 2012, 3h24m

    As pessoas são uma droga.
    Umas te destroem, acabam com seus nervos, te excitam, fazem seu ego inchar, te fazem sentir como merda, outras são nada mais do que tudo que você precisava pra melhorar.
  • Membros Biônicos

    24 mars 2012, 17h12m

    27 cobras lideram o caminho
    Agora você já não se sente tão sozinho
    Crucificado ou salvo por uma cruz;
    Quem diz é o lugar onde minha razão eu pus

    Uma venda numérica na sua cara;
    Parece que não te atrapalha
    Existe um novo negócio;
    Que movimenta capital e te torna misógino

    um tiro dado na testa é melhor do que nas mãos

    Crescimento: produção em laga escala
    Já não cabe tanta criança na sala
    A culpa é de quem mora no quintal
    Não fosse por eles minha vida seria normal

    Cyber-absurdismo, proto-cérebro
    Intelecto-minimalismo, pseudo conforto
    Não acredito em nada disso, eu sei como eu tô
    Vejo claramente minhas condições pelo monitor


    fragmentada, dividida e separada
    a identidade vive sem valor
    o eu não passa de duas vogais juntas
    e o nós uma vogal entre duas consoantes
    nada soa mais como antes, nada soa mais como antes
    em laboratório se criam almas in vitro
    com o domínio do genoma, agora se dissecam espíritos.
    Sempre há algo novo para explorar.
    Quando sua alma vai começar a viajar?
  • Roteiro da HQ Cyberpunk (Construindo)

    7 mars 2012, 5h48m

    parecia meio estranho, mas eles não sabiam que os dois acordavam agora ao mesmo momento, assustados pelo mesmo pesadelo, cada um em um país diferente, levantavam-se gelados, estarrecidos com as cenas que invadiam seus cérebros há poucos minutos atrás, minutos seria demais, há segundos, marcados pelo suor na testa e pelo horror na mente de ver aquela forma metálica com suas garras vindo atrás deles, num bairro já decadente e com pouca iluminação.
    O gigante prateado quadrúpede era meio lento, mas altamente destruidor, as pernas humanas podiam correr mais, mas não tinham quatro baterias em suas costas, ou seja, uma hora eles vão se cansar. Um tropeço os faz cair, a imensa pata de metal se suspende para esmagá-los e então...
    (mulher)-Meu deus, isso será que foi mesmo um sonho?
    (olha pela janela e vê a noite tão escura como óleo dísel)
    (o homem vai até sua gaveta, retira uma bateria de energia e põe em seu braço, deita-se e dorme com os olhos abertos).